quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Acampando com bebe



Nesse post vou falar especificamente de como foi nossa experiência de acampar com uma bebezinha.

Nossa filha, a Mariana, tem 9 meses, e desde que ela nasceu estávamos doidos querendo ir acampar, mas queríamos esperar ela poder usar protetor solar e repelente e isso só pode com 6 meses.
Então já sabíamos que nossa primeira acampada seria depois que ela fizesse 6 meses, mas quando ela fez 6 meses estava muito frio aqui na nossa região (sul de minas) e com isso resolvemos adiar um pouquinho.

Acho que fizemos bem, pois no camping tinha muitos pernilongos e se não pudesse usar repelente nela, os pernilongos iriam fazer a festa. Eles adoram os bebezinhos.

Como fomos no mês de setembro, ainda faz um pouco de frio a noite, mas não um frio congelante de junho/julho, e os dias são bem quentes e dá pra curtir bastante.

Um quesito fundamental quando se viaja com bebe/criança é a estrutura do camping, pois eles precisam de um lugar seguro para tomar banho e dormir, então campings com banheiros muito ruins e com muita bagunça de gente, não rola de ir com um bebe.

Quando se viaja com um bebe a escolha do local e do camping tem que ser pensando neles e foi assim que fizemos e chegamos ao  Camping do Paiol em Águas da Prata-SP.

Quanto as comidas:






A Mariana mama no peito ainda, mas já come papinhas e frutas, então levamos as papinhas prontas e algumas frutinhas, além dos talheres dela que usamos em casa e copinho de água.

Nós já temos as coisas de cozinha de camping separadas das
coisas que usamos em casa, mas as da Mariana resolvemos levar as que ela usa diariamente para não haver nenhum tipo de estranhamento
.






















Hora de dormir e sonecas durante o dia:

A Mariana é um bebe que não gosta muito de dormir. Desde que nasceu dá muito trabalho para dormir e essa era uma das nossas preocupações de ir acampar com ela, pois além dela demorar muito para conseguir dormir, ela acorda com qualquer barulhinho.
Então no camping procuramos seguir os mesmos horários de casa, ou seja, a mesma rotina.
Em casa, no máximo às 21h nós colocamos ela para dormir, e no camping procuramos fazer isso também e deu certo. Ela dormiu como se estivesse em casa, nem melhor nem pior.
Como o camping  estava praticamente vazio não tivemos muitos problemas com barulho, os poucos vizinhos que tínhamos foram dormir cedo.

Sobre as sonecas durante o dia foi mais ou menos a mesma coisa. A única diferença é que durante os passeios ela dormiu no sling, mas nos horários em que estávamos no camping ela dormia dentro da barraca no colchão ou no colo.
Em casa também é assim, as vezes dorme na cama, as vezes dorme no colo mesmo.

Não precisamos levar berço ou algum lugar especifico para ela dormir, pois em casa ela já dorme no meu colchão comigo, que por sinal fica no chão para evitar quedas (pois já aconteceram).
Então levamos um colchão de casal e um de solteiro, mesma configuração de casa.
E foi legal, pois quando ela acordou, viu tudo normal, mas ficava olhando pra todos os lados, como se tivesse percebendo que algo estava diferente, mas também estava igual.



Hora do banho:

Para o banho nós levamos uma banheira inflável que comprei no supermercado mesmo.
Eu coloquei para encher no chuveiro do banheiro e depois coloquei ela para tomar banho, assim como fazemos em casa, a única diferença é que em casa a banheira fica no suporte e o camping foi no chão.
Existe inúmeros jeitos e possibilidade de dar banho no bebe mas optamos pela banheira por achar mais seguro.
Ela adorou a banheira, os banhos foram uma delicia.


Diversão

Como a Mariana ainda é muito bebezinha, precisamos de pouca coisa para divertir ela. Mas quando as crianças são maiores, acho legal escolher camping com parquinho e se der com piscina também. Mas o mais interessante é o parquinho, pois eles adoram os parquinhos e passam um bom tempo se divertindo.
Mesmo a Mariana sendo muito pequenininha, ela aproveitou um pouco o parquinho, no balanço e no brinquedinho de girar.
No camping tinha piscina também, mas achei que estava frio para ela entrar. Quem sabe na próxima vez.


Conclusões que chegamos sobre acampar com um bebe:

- 9 meses foi legal para começar, pois ela já conseguiu entender o que estava acontecendo e interagir, não nos arrependemos de não ter ido antes;
- precisamos nos organizar melhor as nossas tralhas antes de sair de casa, para levar somente o essencial, pois levamos muitas coisas que não usamos;
- precisamos nos organizar melhor na hora de desmontar as coisas para agilizar o processo, pois crianças não tem muita paciência, principalmente quando já estão cansadas.
- a escolha do camping com uma boa estrutura é fundamental;
- o camping tem que ser escolhido pensando neles (nas crianças), pois se eles curtem, tudo fica legal;
- os horários dos bebes/crianças tem que ser respeitados.
- voltaremos muita e muitas vezes.


Um comentário:

  1. Sobre a desmontagem rápida da barraca, esse modelo da barraca de vocês pode ser desmontado sem a remoção dos quartos, fazia isso na T6.2 tradicional quando fui pra Brasília, ia fazendo escala de camping e camping, e precisava de agilidade nas montagem e desmontagem. Segue o link duma postagem que fiz sobre isso. http://oscostas.blogspot.com.br/2013/10/desmontagem-barraca-quechua-t62-e-t62.html

    ResponderExcluir