quinta-feira, 20 de julho de 2017

Vai quem Quer - camping do Paiol

Depois da última acampada no Valle das Águas eu jurei para mim mesma que só iria acampar novamente no verão...só que não!
Não porque é ruim acampar no inverno, dentro da barraca é super tranquilo, não passamos frio...mas fora....o bicho pega.
O Lu me convenceu a ir no Vai quem Quer que o pessoal do Grupo Campiratas estava organizando, pois seria uma oportunidade de rever o pessoal que não víamos a muito tempo, desde o último MEI que participamos.
Então tá, né...concordei...mas levei um mundo de cobertas e roupas de frio.
Estava mais frio que no Valle das Águas, mas eu estava mais preparada e então passei menos frio.

O camping do Paiol é super perto pra gente, e como é um camping que a gente já conhecia,  foi o que me animou.
Sexta-feira a tarde partimos rumo ao camping e chegamos lá ainda era dia. Isso pra mim é o mais importante, pois odeio montar a barraca no escuro, ainda mais com uma bebezinha super levada correndo para todos os lados.

Para dar conta do frio da madrugada montamos nosso quarto da seguinte forma: primeira camada placas de EVA, depois colchão, lençol, coberta (para forrar o colchão) edredom e mais cobertas....colocar a coberta para forrar o colchão fez toda diferença pra gente não passar nenhum pouquinho de frio durante a noite.

Tudo montadinho, Mariana já tinha jantado e estava dormindo... ai a noite é nossa.
 O Lu fez um caldinho, levamos vinho...e eu achei que íamos ter uma noite só nossa...mas só eu que achei isso, pois o Lu preparou o caldo pra a noite de caldos do encontro...rss....então a noite romântica só nossa...virou uma baladinha campista...e lá fomos nós. Com nossas cadeiras, panela de caldo, cumbuquinhas e talheres para comer o caldo, taças de vinho e o vinho.
Sair de "casa" no camping exige toda uma logística, pois são muitas coisas para carregar, mas a gente não liga, porque vale a pena.
Tinha muitos caldos, eu nem consegui provar todos, mas os que eu provei estavam uma delicia.

Depois de comer até cansar nós fomos sentar na beira da fogueira (que me rendeu um bela gripe depois).

Dessa vez levamos a baba eletrônica, ai ficamos tranquilos em deixar a Mariana dormindo na barraca e também aonde estava sendo a "festa" não era muito distante da barraca.


No sábado 6h da manhã nossa linda já estava de pé e queria brincar, mas como estava muito frio, ficamos brincando dentro da barraca mesmo.
Quando esquentou um pouquinho saímos para dar um volta no camping e conhecer o pessoal. A Mariana simpática que só, logo já fez amizade com as crianças.
A tarde rolou um churrasco coletivo (de praxe), mas eu por causa da gripe fiquei na barraca descansando um pouco, enquanto o Lu e a Mariana foram.
Mais tarde rolou um campeonato de bete e até o Lu se aventurou.
A noite colocamos a Mariana para dormir, juntamos todas as nossas tralhas para a baladinha campista que nesse dia foi rodizio de pizza.




















meu atleta 😉



Partiu baladinha campista - noite de pizzas





















As pizzas estavam uma delicia e de novo eu comi até cansar...(acho que comi d+ nessa acampada..rsrs). Eu não me lembro o nome de todos, mas foi o pessoal da organização do evento que lm fez as pizzas...eles ficaram bem cansados, pois foram muitas pizzas.

Foi uma noite muito gostosa.











No domingo acordamos cedo, passeamos pelo camping, conversamos com o pessoal, tiramos algumas fotinhas e já estava na hora de começar a desmontar as coisas.
Fizemos tudo com calma, colocamos nossa cozinha em baixo das árvores e aproveitamos para almoçar fora de "casa".

Acampadas de fim de semana são tão rápidas que não dão nem pra curtir direito, sempre fica uma sensação de quero mais...logo eu que não queria mais acampar no inverno, né! 😊

nossa casinha
fomos conhecer a cachoeira...mas ela dormiu 
nós 💗

lago do camping
almoço "fora" de casa
Tadinha...dormiu esperando a gente terminar de desmontar tudo.















Um comentário:

  1. Acampada ate no frio é bom. Nada quem um bom vinho, amigos e uma fogueira não resolvam.

    ResponderExcluir